Sorrisinho maroto.

terça-feira, 27 de Março de 2018

 

 

 

 

Ri melhor quem ri por último e o peixe morre pela boca, viu Hamilton? Zoou com o adversário no sábabo? Teve que engolir o sapo e por o rabinho entre as pernas no domingo.

Adoro ditados do tempo da vovó!

A temporada 2018 começou da melhor forma possível, vermelha!

Claro que a Mercedes ainda tem o melhor carro, mas a Ferrari mostrou um ritmo consistente em prova e colocou sua dupla no pódio, pena que não foi uma “doppietta” (dobradinha).

A corrida não foi das mais emocionantes, mas também não deu sono para quem ficou acordado durante a madrugada. Largada tranquila, com destaque para Magnussen, que deixou Mad Max para trás e vinha fazendo uma boa prova, até ser traído, junto com o companheiro Grosjean, por um problema nos pits. Parece impossível que, com tanta tecnologia envolvida na F1, os dois carros da mesma equipe tenham ficado fora da prova por um problema banal, uma falha na fixação da roda traseira. Mas esse problema gerou o safety car que mudou a história da prova. Iceman e Hamilton já tinham feito suas trocas, enquanto Vettel optou por ficar mais algumas voltas na pista, para se livrar do tráfego que teria ao voltar da sua parada. E aí os deuses sorriram para a Ferrari, que trouxe Vettel para o box e devolveu o alemão na frente do pavãozinho Hamilton, que até tentou, mas não levou a melhor.

Destaque para a bela corrida do canguru sorridente, embora a sina de um piloto australiano não subir ao pódio na corrida de casa persista, e também para o Alonso, que finalmente parece ter um carro minimamente decente nas mãos.

Já Bottas e Mad Max, que coisa! Como é que um cara que tem o melhor carro do grid tem tanta dificuldade para escalar o pelotão? Bottas fez uma corrida apagadíssima! E o Verstappinho parecia um ioiô, dando várias escapadas.

No mais, o fundão do grid embaralhando Williams (que decadência!), Toro Rosso e Sauber, Force India em queda, Renault, McLaren e Haas em franco crescimento e as três grandonas brigando lá na frente. O cenário parece não ter mudado muito, mas acho que teremos algumas surpresas ao longo do ano, principalmente em função da redução do número de motores a serem utilizados numa temporada longa, com 21 provas.

Sim, eu sei, não se diz mais motor, é unidade de potência, mas vamos simplificar!

E dos cangurus vamos para os camelos e dromedários.

Até a próxima corrida, daqui a duas semanas, no Bahrein.

 

Vera Peres

 

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi e mãe do peludo Kimi Räikkönen. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

 

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

Leia Também