Mingau indigesto

segunda-feira, 18 de março de 2019

 

 

 

 

Uma Mercedes ganhar o GP da Austrália não foi surpresa. Surpreendente foi o desempenho do Bottas, tomando a ponta na largada e despachando os adversários. Ele mesmo admitiu que foi a melhor corrida que já fez na carreira. E deve ser por causa do mingau que ele comeu no café da manhã!

Hamilton e Ocon tiveram que lidar com esse cardápio indigesto. O pentacampeão teve um probleminha no carro, mas ainda conseguiu chegar na frente do Verstappen, que fez uma prova limpa e consistente, mostrando que o problema da McLaren não era só o motor Honda. E Ocon, que é piloto reserva e protegido do Toto Wolff, passou a corrida toda sorrindo amarelo, vendo seu rival pela vaga, em 2020, esbanjando categoria.

A Ferrari teve um desempenho muito abaixo do esperado, mas vamos aguardar o próximo GP para ver o quadro real. Melbourne tem características bem diferentes de Barcelona, onde a equipe comandou os testes da pré-temporada. E dentro da lógica habitual da equipe, Leclerc não ultrapassou Vettel no final, quando seu carro rendia mais, com pneus menos desgastados. Só um piloto pode ser campeão e, por enquanto, o candidato natural é o Vettel.

A prova foi razoável, com alguns bons pegas nas posições intermediárias, mas nada muito emocionante. A lamentar, mais uma vez, o abandono do piloto da casa. Outro ano sem um aussie no pódio, está difícil quebrar essa maldição. A Haas manteve a escrita e cometeu o mesmo erro de 2018 com Grosjean, mas emplacou um bom sexto lugar com Magnussen.

A Williams mergulhou no abismo e parece não ter forças para sair, dá pena dos pilotos, principalmente do novato Russell. Nas demais equipes, nenhuma surpresa ou acontecimento digno de nota, tudo dentro da normalidade.

Sofrimento mesmo, só com a narração chata e atrapalhada de sempre. Giovinazzi ganhou inúmeras versões durante a prova: Giovanazzi, Giovenezzi, Giovenazzi, acho que só acertaram a pronúncia correta uma vez. E dizer que o Sainz era estreante na McLaren é imperdoável, o guri correu toda a temporada de 2018 na equipe, ao lado do Alonso.

Mas daqui a duas semanas a F1 troca o canguru pelo camelo, é a vez do GP do Bahrein. Será que teremos mais surpresas?

Até lá!

 

Vera Peres

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

Leia Também