Laranja é a cor mais quente.

terça-feira, 2 de julho de 2019

 

 

 

 

E finalmente a F1 entregou aos fãs uma corrida decente! A combinação de altitude, calor e pista curta (mas com uma reta longa) finalmente trouxe emoção ao campeonato.

No sábado, depois de mais um desfile bizarro de punições, fazendo uma ligeira confusão no grid, a primeira fila não tinha uma flecha de prata, com Leclerc na pole e Mad Max na segunda posição.

No domingo, depois de grande expectativa para a largada, Verstappen largou mal, perdendo cinco posições. Vettel fez uma largada excepcional, depois de nem conseguir treinar no Q3 e até o Kimi apareceu lá na frente, enquanto Norris, com a McLaren, teve seu momento de brilho. As primeiras voltas foram em ritmo alucinante, muito disputadas.

Aí, depois dos pit stops, Verstappen começou seu show, para loucura da torcida holandesa, que tomou conta das arquibancadas de Spielberg. Sou ferrarista, mas torci por ele, mereceu muito a vitória, com um desempenho consistente e maduro. Parece que o bebê está crescendo, finalmente! Foi uma sequência alucinante de lindas ultrapassagens e Leclerc pagou o preço da imaturidade, além da Ferrari ter babado – de novo! Ficaram monitorando as Mercedes e se descuidaram com o holandês voador…

Red Bull, Ferrari e Mercedes continuam comandando o espetáculo. Vettel poderia ter ido ao pódio, se não fosse o desastre do primeiro pit, Leclerc confiou demais, achando que tinha uma vantagem confortável, Bottas foi apagadíssimo, Hamilton abusou das zebras e teve que trocar o bico e Gasly continua muito distante do companheiro de equipe.

Na turma do meio, destaque para a Alfa e a McLaren, colocando seus dois pilotos na zona de pontos. Renault, Racing Point, Haas e Toro Rosso tiveram desempenho errático.

E a Williams, bom a Williams continua no fundo do poço e não dá sinais de que vai sair de lá tão cedo.

Para finalizar, desta vez os comissários não interferiram no resultado da prova, ao considerar que não houve irregularidade na ultrapassagem do Verstappen sobre Leclerc. Seria a morte da categoria se fizessem mais uma lambança como a do Canadá.

Foi uma corrida fantástica, mas infelizmente esse cenário é exceção. Não dá para chegar no GP da Inglaterra, daqui a duas semanas, com muitas expectativas.

Até lá!

 

Vera Peres

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

Leia Também