Desandou a carbonara.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

A F1 chegou em Monza na expectativa de uma doppietta (dobradinha) da Ferrari, depois do excepcional desempenho na Bélgica. O sábado começou promissor, com o incrível tempo de 1m19s119 conquistado pelo Iceman. Simplesmente a volta mais rápida na história da F1, com a média de 263km/h! Primeira fila vermelha, sem previsão de chuva para a corrida, tudo em paz.

Mas quando chegou o domingo…
Vettel, afobadísismo, ao invés de defender a posição sobre o Hamilton, resolveu atacar Kimi. Não havia necessidade dessa manobra, a inversão de posições aconteceria ao natural, com duas ou três voltas.  Como resultado, Hamilton, numa manobra totalmente limpa (e eu nem sou fã do cara!), ultrapassou Vettel, que rodou e teve que fazer uma corrida de recuperação.

E aí a Ferrari, que deveria focar no Kimi, para tirar o máximo possível de pontos do Hamilton, marcou bobeira e caiu no blefe do pit stop da Mercedes. Ao antecipar a parada, mesmo com os pneus do Iceman ainda com bom rendimento, devolveu o piloto atrás do Bottas. Kimi ficou preso atrás do funcionário do mês da Mercedes, enquanto a equipe segurava Hamilton na pista pelo máximo de tempo possível. Quando o inglês chegou na Ferrari, os pneus do Kimi estavam bem mais desgastados no momento da batalha final pela ponta.  Mas o Iceman estava num final de semana inspiradíssimo, e vendeu caro a posição. Quando Hamilton finalmente o ultrapassou, imediatamente começou a abrir uma vantagem confortável, o que mostra o quanto Kimi pilotou.

Vettel ainda conseguiu chegar em quarto, com a punição do Verstappen, mas o prejuízo é grande, são 30 pontos de vantagem para inglesinho mimado. Mas a culpa é dele mesmo, depois do erro bobo que cometeu na Alemanha e da afobação em Monza.

“Não é assim que se ganha um campeonato, principalmente quando o adversário é Lewis (Hamilton). Sebastian precisa rever sua forma de enfrentá-lo. Hoje, como em outras ocasiões, Sebastian demonstrou não saber perder uma posição na corrida. Lewis já o havia ultrapassado quando se tocaram. Com o carro que tinha, Sebastian poderia ter caído para terceiro e manter ainda chances de vitória.” Palavras de Nico Rosberg, que sabe bem o tamanho do esforço exigido para derrotar Hamilton.

Vettel ainda tem sete provas para mostrar seu imenso talento.
Na dança das cadeiras, só falta a Ferrari oficializar a contratação do Leclerc, deixando o Iceman, um dos pilotos mais rápidos da F1, sem cockpit.  O menino é talentoso, mas será que ele vai ter maturidade para encarar a Ferrari? Panela de pressão é pouco para definir as cobranças dentro da equipe!
E nesta segunda-feira a McLaren oficializou a saída de Vandoorne e a promoção do Lando Norris, que vai ser o companheiro de Carlos Sainz.
A próxima corrida é em Singapura, um circuito de rua, apertado, onde normalmente o safety-car é acionado. Se o Vettel colocar os neurônios no lugar, tem uma boa chance de vitória.
Até lá

Vera Peres

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi e mãe do peludo Kimi Räikkönen. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

 

Leia Também