Banana prata.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

 

 

 

 

E na terra do edelweiss, quem apareceu mesmo foi uma fruta tropical, a banana prata. Depois de um amplo domínio nos treinos, a poderosa Mercedes se embananou toda na corrida e sofreu uma inédita pane dupla.

A crônica dificuldade da Mercedes com os compostos mais macios ficou bem evidente na largada, com o Kimi tentando uma dupla ultrapassagem que quase deu certo. Depois de superar o Bottas, ele espalhou na hora de ir para cima do Hamilton, o que abriu espaço para o Verstappen assumir a segunda colocação – e isso foi determinante para o resultado da prova, como veremos.

Todo mundo se acomodando na pista, mas na volta 13 Hulk teve o motor estourado. Na volta 15, Bottas abandonou, problema no câmbio. Com o VSC (virtual safety-car) acionado, RBR e Ferrari foram rápidas e espertas, chamando  seus pilotos na mesma volta. A Mercedes pensou, pensou e perdeu um tempo precioso, só chamando o Hamilton na volta 25! Resultado? O inglês “mimizento” voltou em quarto, atrás do Mad Max, do Ricciardo (aniversariante do dia) e do Iceman, e ligeiramente a frente do Vettel.

Kimi, apesar do erro na largada, estava inspirado depois do pit stop e partiu para cima do canguru sorridente, que sofria com bolhas no pneu traseiro direito e conquistou a segunda posição, na volta 38. Ricciardo foi para um segundo pit stop e o inglês subiu uma posição, mas tudo o que é bom dura pouco. Na sequência, Vettel fez uma linda ultrapassagem sobre Hamilton, conquistando a terceira posição.  Novo pit para Hamilton, que sofria com os pneus e voltou atrás de Ricciardo. Quando o australiano abandonou, a sorte parecia sorrir novamente para o atual campeão. Mas aí…

Aí aconteceu a inusitada e inesperada segunda quebra de uma flecha de prata. Além do abandono na corrida, a perda da liderança no campeonato veio junto, ainda que seja apenas um ponto de diferença.

Kimi até ensaiou um ataque para cima do Verstappen, mas não havia mais tempo. Finalmente a Red Bull conseguiu sua primeira vitória no circuito de casa, o Red Bull Ring. E Mad Max mostrou maturidade, ao fazer uma corrida limpa, sem erros e afobações. Que continue assim!

A prova também foi movimentada no segundo pelotão. A Haas, finalmente, conseguiu pontuar com seus dois pilotos e agora ocupa a quarta posição no Mundial de Construtores. A Sauber foi outra que conseguiu a façanha de colocar seus dois pilotos na zona de pontuação, e a McLaren, com Alonso, teve um final de semana minimamente decente. Mas a Williams, ah a Williams… Além do desempenho abaixo da crítica, ainda cometeu um erro bobo ao mandar Stroll ignorar as bandeiras azuis e continuar acelerando, para tentar descontar uma volta de atraso. Levou uma bela punição, que não ajuda em nada o desastre ambulante em que a equipe se transformou.

E semana que vem tem mais! Vamos para Silverstone, onde o Hamilton vai chegar babando! Promessa de corrida movimentada, oremos!

See you later, folks.

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi e mãe do peludo Kimi Räikkönen. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

 

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

 

Leia Também