Assim caminha a temporada.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

 

 

 

A F1 e os EUA sempre viveram entre tapas e beijos, mas parece que Austin acabou com a DR. Apesar de estar no Texas, estado ultraconservador, terra do gado, do petróleo, do chapelão de cowboy e cenário do último filme de James Dean, Austin é diferente. É uma cidade universitária, festeira e musical (Robert Plant morou um tempo por lá), com um grande número de bares.

A pista tem um traçado bem interessante e a corrida deste ano foi sensacional, com muitas ultrapassagens e variações táticas no uso dos pneus. Vettel teve o gostinho da liderança por alguns momentos, mas Hamilton venceu sem sustos. Magnussen fez uma corrida no estilo touro bravo solto no pasto, aprontando várias lambanças, principalmente com a Sauber. Sainz Jr domou rapidamente o novo carro e nem parecia que essa era sua primeira corrida com a Renault. Hulk vai passar trabalho como novo teammate. Verstappen, largando atrás, laçou a concorrência e foi o Driver Of The Day. Mas perdeu o lugar no pódio por uma irregularidade na ultrapassagem sobre o Iceman e soltou o verbo, sem medir palavras, como é habitual. O gurizinho herdou o talento para pilotagem da mãe (Sophie competiu profissionalmente e foi campeã de kart) e o gênio intempestivo e falastrão do pai (que foi um piloto medíocre, sendo bem educada). Quando aprender a dominar a língua e controlar a adrenalina, vai ser imbatível.

Destaque também para a ação do Liberty Media, vestindo a corrida de rosa, desde a pista até os crachás do pessoal da organização, passando pelo boné dos pilotos na premiação. Os novos donos do negócio estão fazendo um esforço notável para arejar a categoria e se aproximar do público, como mostra o trabalho feito com as redes sociais e a volta de pistas tradicionais na Europa, como Paul Ricard.

Já que o título do Hamilton vai ser comemorado semana que vem, com muita tequila, encerro o texto falando de Giant (Assim Caminha a Humanidade), um clássico do cinema, rodado em Marfa, Texas. Último filme na curta carreira de James Dean, tem direção de George Stevens, com Elizabeth Taylor e Rock Hudson completando o elenco principal. Conta a história de uma família de fazendeiros, que tem no gado sua principal fonte de riqueza e aos poucos vê essa realidade mudar, com a descoberta do petróleo. As relações com os imigrantes mexicanos, a rivalidade com Jett Rink (James Dean) e a evolução na sociedade americana são retratadas com veracidade, é um filme incrível. James Dean havia assumido o compromisso de não correr enquanto estivesse filmando, e cumpriu o acordo. Encerrou sua participação alguns dias antes do final da filmagem principal, foi pilotar seu Porsche e se acidentou. Desapareceu o ator, nasceu o mito.

Vera Peres

 

Vera Peres é publicitária e apaixonada por Fórmula 1 – desde sempre. Acorda no meio da madrugada para acompanhar corridas. É Ferrarista, fã incondicional do Schumi e mãe do peludo Kimi Räikkönen. Já visitou a Ferrari em Maranello, viu Alain Prost, David Coulthard, Damon Hill e Jacques Villeneuve treinando no autódromo do Estoril, viu o Hulkenberg marcar a única pole da carreira (até agora), em Interlagos/2015, debaixo de uma chuvarada, chorou com a morte do Gilles Villeneuve, coleciona filmes, documentários e livros sobre o esporte. O seu sonho de consumo é assistir – ao vivo – uma prova em Monza ou em Spa.

 

Forma | Conteúdo | Moda Masculina | Design |Marcas |Universo Masculino Alfaiataria | Luxo | Primavera-Verão | Coleção | Experiência

Leia Também